quinta-feira, 31 de maio de 2007



-Política de educação ambiental
O Brasil é um país privilegiado no que diz respeito à quantidade de água e talvez por conta deste fato não dê a devida atenção a este bem econômico. O desperdício e a poluição de nossas águas compõem um triste retrato que revela a urgente necessidade de campanhas de educação ambiental que modifiquem a forma como a sociedade tem tratado esta questão.
A água, apesar de abundante, está mal distribuída tanto no território brasileiro, quanto entre seus usuários e consumidores. De acordo com o representante das ONGs no Conselho Nacional de Recursos Hídricos , apesar da existência de leis que prevêem prioridade absoluta do uso da água para satisfazer as necessidades humanas básicas (dessedentação e usos domésticos), o maior consumo se dá na agricultura com 70% do volume total. Em seguida estão os usos industriais com 20% e, por fim, os usos domésticos que não ultrapassam 8%. Somando-se este aspecto ao desperdício de água, à poluição dos mananciais e ao crescimento desordenado dos grandes centros urbanos temos a equação que resulta nas atuais crises de abastecimento.

A questão das águas no Brasil, tem acima de tudo, um caráter político e a participação cidadã na gestão da água é hoje um grande desafio para as ONGs e para a sociedade civil. Entre as ONGs que têm se voltado para esta questão, destaca-se a em São Paulo, que através de atividades junto à rede de ensino, campanhas na mídia e ações em conjunto com o governo, indústrias e empresas, busca promover a proteção, conservação e recuperação da água através da educação ambiental.
Segundo a consultora da Universidade da Água, o projeto "Reciclar é Respeitar a Vida", voltado para a poluição nas grandes cidades, atingiu no período de outubro de 1999 até agosto de 2000 aproximadamente 10 mil pessoas. O projeto "Selo Retribuição ao Meio Ambiente da Cidade" reuniu mais de 1000 pessoas de 5 à 14 de junho de 2000. Há uma constante participação em seminários e presença na mídia informando e difundindo um novo conceito de comportamento sócio ambiental que determine o uso racional dos recursos naturais, utilizando metodologias diferenciadas que mesclam arte e educação para atingir as várias camadas da sociedade. Várias outras instituições têm contribuído na tarefa de conscientizar a sociedade. Esses projetos revelam a preocupação da sociedade com a água, talvez o bem econômico mais precioso do próximo milênio. No entanto mais esforços e vontade política devem se unir a esta preocupação. É necessária uma ação conjunta por parte do governo e das ONGs para avaliar o efeito real das campanhas de educação ambiental. A crescente demanda por água torna imprescindível a mudança de padrões de conduta e hábitos com relação ao seu uso e conservação. Esta mudança de atitude só será possível através da educação ambiental e da conscientização por parte da sociedade como um todo de que a água, apesar de abundante, não é inesgotável.


FONTE: WWF BRASIL



2 comentários:

Victor disse...

muito bom o blog , é bom tomarmos providências para que possamos mudar este fato e futuramente ajudar a quem precisa.
Parabéns pela iniciativa

Anônimo disse...

muito legal esse blog... eh bom vr q ainda existem pssoas q realment c preocupam com o caos q tah o mundo..

parabns